14 janeiro 2009

Anna Likhacheva

Dizem que quem sai aos seus não degenera. Lembro-me de um rapaz cujo pai era motorista de caminhão – ele dirige até hoje. Outro herdou um pequeno comércio do pai e vai tocando a loja. Quantos cantores famosos não colocam seus filhotes para gorjear desde cedo? E muitos dão conta da herança com grande competência. E os políticos? Engraçado é que seus filhos têm os mesmos cacoetes dos pais, aquela mesma mania danada de enganar o povo e encher as burras de dinheiro.

E eu me pergunto: por que meu pai não foi um bom violonista ou bom pianista ou mesmo um razoável pintor de quadros? É bem verdade que desenho desde os 8 ou 9 anos mas não tive ninguém que me orientasse para seguir uma Escola de Belas-Artes.  Só com 13 ou 14 anos comecei a ter noções  de proporções do corpo humano, tamanho dos braços, pernas, ombros, mãos, etc...

Vejam o caso dessa menina do vídeo: aos três anos e meio de idade lhe puseram um violãozinho nas mãos e a assistência de um professor, seu próprio pai, Yury Likhachev. Aos quatro anos já gravava um vídeo. Atualmente tem 15 anos e uma considerável quantidade de prêmios conquistados em diversos concursos de jovens solistas. Se você é um jovem solista e vai participar do mesmo concurso que ela, prepare-se para a segunda colocação.

Um dia de Noviembre, peça do cubano Leo Brower

Um comentário:

manueltava disse...

Já ouvi e é de facto incrível. Sou guitarrista clássico e nunca vi um tal fenómeno. A continuar assim não sei onde vai parar.